[ editar artigo]

A importância de escrever bem em um mundo cada vez mais digital

A importância de escrever bem em um mundo cada vez mais digital

 

Escrever bem não é mais necessário, é fundamental. Ao contrário do que se pensa, não estamos escrevendo menos, mas cada vez mais. Embora a caligrafia esteja morrendo, a escrita digital cresce a cada segundo. Há escrita nas anotações embaralhadas nas notas do celular, nas telas do computador e nas mensagens de Whatsapp que mandamos. Inclusive emojis são escrita. Escrever é bom, em todos os sentidos. Seja para auto-expressão, comunicação ou passar no vestibular. Porém, há uma grande diferença entre escrever e escrever BEM.

Imagine que você recebeu um e-mail de um CEO de uma empresa e estão prestes a fechar negócio. Mas o e-mail tem erros com “mais” no lugar de “mas” e “concerteza”. Certamente, no mínimo, você se sentiria desconfiado. Isso se não já desse para trás no negócio. Sim, um erro gramatical pode ser fatal.

 Mais que escrever, escrever bem traz confiança. Quando se fala que palavras mudam o mundo não é exagero. O poder de argumentos muda ideias, produz conhecimento. É um indicativo que você sabe se comunicar. E principalmente: é um diferencial hoje no mercado de trabalho.

Pode parecer um requisito básico saber escrever, mas em um mundo com cada vez mais textão de Facebook, saber que sujeito e verbo não se separa, pode ser um diferencial. Isso não significa que é proibido errar às vezes, afinal, somos humanos. Mas a capacidade de organizar ideias e articular argumentos é uma qualidade cada vez mais necessária no mercado. E cada vez mais rara.

Talvez o maior exemplo de importância atribuída à escrita seja a Amazon. Lá, não há reunião, apresentação de protótipo ou nada do tipo sem antes haver um memo de aproximadamente seis páginas sobre o novo produto ou serviço. Os papéis rodam o escritório, ideias são adicionadas e feedbacks são recebidos para que o texto fique o mais claro, compreensível e direto possível. Para eles “o grande diferencial dessa cultura é permitir que os autores internalizem a perspectiva dos consumidores em cada iniciativa”. Ou seja: repensar e reescrever até que nenhuma falha saia do papel (literalmente).

Mas como melhorar nossas habilidades em escrita? Para começar: antes de se saber escrever bem é preciso ler bem. Como dizia Voltaire, “a leitura engrandece a alma”. E é nesse momento, em que temos tanta informação, que a qualidade importa. Viajar no mundo de Harry Potter, observar o futuro distópico em 1984 com George Orwell ou escrever diários de bordo são tão importantes como ler um artigo de venture building em inglês. Ninguém precisa começar com Nietzsche ou escrever um artigo científico logo de cara. Repertório cultural importa. E já é um primeiro passo.

Escrever bem não é um processo fácil, não se aprende em um workshop de um dia. Comunicar com precisão exige habilidade e muito treino. Mas uma página de cada vez pode fazer a diferença.

The Business Change
Thais Porsch
Thais Porsch Seguir

Estudante de Jornalismo e fotógrafa

Ler conteúdo completo
Indicados para você