[ editar artigo]

Conheça 6 startups de moda que estão revolucionando a experiência de compra

Conheça 6 startups de moda que estão revolucionando a experiência de compra

 A moda vem sendo profundamente impactada pela tecnologia. A experiência do cliente vem se tornando cada vez mais o fator principal de consumo e um mercado cada vez mais segmentado está abrindo as portas para a inovação no setor.

Separei algumas startups que vêm se destacando no Brasil e no mundo e coloquei o link para que você possa explorar mais sobre a proposta de cada uma delas.

 

1- ELSE Corp

Escolhi começar com esta startup por dois motivos:

1º Envolve tecnologia 3D, tanto de escaneamento, quanto de impressão, e esse é para mim um dos futuros sustentáveis da moda, além de ser um tema que eu já pesquisei bastante;

2º Durante uma palestra na Itália, tive a oportunidade de conhecer de perto a proposta da empresa e tive a sensação de “estar presente no futuro". A proposta desta startup é revolucionar a indústria de luxo. Eles desenvolveram um software que faz o escaneamento total do corpo, assim as marcas podem vender seus produtos de forma totalmente personalizada. Oferecendo uma experiência única de compra e relacionamento com o consumidor.

Fonte: Elsecorp.com

 

2- Stich Fix

É  uma startup americana, nascida em São Franscisco, CA.

A proposta é que o usuário forneça dados sobre o seu estilo pessoal, as suas medidas e a média de preço que ele pagaria por produtos. A partir dessas informações, é enviado para a casa do cliente diversas alternativas de modelos de roupas e acessórios, com base em seu perfil. Nesse modelo de negócios, o usuário acaba ganhando uma consultoria de imagem, pois o aplicativo pré define as melhores combinações dos modelos. Os itens escolhidos podem ser pagos através do app; os demais são coletados e levados de volta para as lojas de origem.

 

3- Feetz

Além de novas formas de pensar o consumo, é possível também repensar as formas de manufatura. A Feetz (também da Califórnia) é uma startup que produz calçados impressos em 3D com uma tecnologia própria de filamento, desenvolvido a partir de materiais reciclados. Todo o processo de compra é feito no ambiente virtual e o usuário tem o poder de customizar o seu modelo de acordo com as suas medidas e preferências de aparência. Nesse exemplo, há tanto o beneficio da inovação quanto o da sustentabilidade.

 

4 - Steal the Look

No Brasil, também há diversos exemplos de startups de moda que têm se destacado. O Steal the Look, por exemplo, começou em 2012 como um blog de" look do dia". Seu diferencial era oferecer indicações de onde encontrar as peças mostradas nos editoriais. Hoje, ele é um marketplace que abriga mais de 30 e-commerces, cobre mais de 100 marcas e fatura em média 2 milhões de reais por ano. A proposta continua sendo a mesma de quando iniciaram: com referência em looks de celebridades ou do street style nacional e internacional, o site oferece  indicações de onde encontrar os modelos mais parecidos com os das imagens, te direcionando para a compra.

 

5- Shop'n Share

Startup de economia colaborativa.

É uma plataforma de compartilhamento de roupas e acessórios  de luxo para ocasiões especiais ou viagens, você pode ficar por até 8 dias com o produto e depois devolve sem preocupações. Um jeito inteligente e consciente de aumentar o ciclo da moda e a vida útil dos produtos. A empresa nasceu em Brasília e por enquanto só opera na região.

 

6- Revoada

A Revoada é um coletivo de design que cria produtos de moda à partir do upcycling de câmaras de pneus e náilon de guarda-chuvas. Eles se encaixam dentro do conceito de startup de empreendedorismo social. Em maio deste ano a marca participou do prêmio Chivas Ventures em Amsterdã, sendo a unica startup brasileira na disputa.

Esses exemplos mostram novas formas de produzir e consumir moda.

Mas a pergunta é: o quanto ainda é possível inovar nesse setor? Muito!

Infelizmente, quando falamos em tecnologia no Brasil, estamos bem atrasados em relação aos países desenvolvidos, mas isso não precisa ser um empecilho. Tanto a globalização quanto os conceitos de economia colaborativa permitem que você seja capaz de desenvolver ideias com pessoas de diferentes países, principalmente, porque cada vez mais o ecossistema de inovação e aceleração de startups tem se fortalecido ao redor do mundo. São dezenas de programas de empreendedorismo, que focam desde a mudança de mindset, até a aceleração e investimento em ideias com potencial de crescimento.

E você, já pensou em criar algo novo? Já se imaginou empreendendo?

Compartilhe nos comentários suas perguntas, expectativas, medos e dúvidas

The Business Change
Ana Paula Ribeiro
Ana Paula Ribeiro Seguir

Designer, apaixonada por comportamento de consumo e novas fomas de pensá-lo!

Ler conteúdo completo
Indicados para você