[ editar artigo]

Live Inovação Aberta e Propriedade Intelectual

Live Inovação Aberta e Propriedade Intelectual

Na última quinta-feira, dia 09 de julho, às 18:00, conversei com o Ildo Ritter, sócio na Ritter Advogados e atual presidente da Seccional Sul da Associação Brasileira dos Agentes da Propriedade Industrial (ABAPISUL), com o Mario Gonçalves, coordenador Global de Propriedade Intelectual na Whirlpool Corporation e com o Rodrigo de Alvarenga, CEO da HAG, sobre Inovação Aberta e Propriedade Intelectual.

Abordamos o fenômeno da Inovação Aberta e como conciliá-lo com questões de Propriedade Intelectual, tanto do ponto de vista das startups e das empresas e como identificar parcerias, mapear tecnologias, oportunidades e dificuldades do processo de inovação aberta do ponto de vista da propriedade intelectual, NDAs, contratos - definição de titularidade (única e compartilhada) - e transferência de tecnologias.

Confira a live completa no vídeo abaixo. 

Até as empresas mais tradicionais devem responder rapidamente ao ritmo acelerado das mudanças tecnológicas. A pressão do mercado obriga as empresas a acompanharem seus concorrentes, aumentando a sua capacidade tecnológica. Historicamente, os laboratórios centralizados de Pesquisa e Desenvolvimento eram a resposta das empresas às mudanças e incertezas associadas ao desenvolvimento e lançamento de inovações. No entanto, com o tempo, os investimentos internos em P&D mostraram poucos resultados positivos e não são suficientes para acompanhar o rápido progresso da inovação. Foi ai que o fenômeno da Inovação Aberta surgiu.

Henry Chesbrough, da Universidade de Berkeley, foi um dos primeiros autores a evidenciar a importância da Inovação Aberta para a inovação e desenvolvimento tecnológico das organizações. Para ele, as empresas devem olhar para fora de suas fronteiras e usar conhecimentos e caminhos externos ao inovarem.

Inovação aberta

A inovação aberta permite que conhecimentos e tecnologias utilizados pelas empresas surjam tanto a partir de esforços internos quanto externos. Trata-se de uma forma de compartilhamento de conhecimentos e tecnologias entre organizações, startups, universidades entre outros atores do ecossistema e pode ser uma grande aliada na transformação de negócios.

Propriedade Intelectual

Direitos de propriedade intelectual são os direitos dados às pessoas e empresas sobre suas criações, geralmente, são concedidos direitos exclusivos de propriedade ao criador sobre o uso de sua criação por um determinado período. 

Inovação Aberta e Propriedade Intelectual

À primeira vista, os dois conceitos podem parecer antagônicos. Entretanto, alguns dos maiores detentores de patentes do mundo (empresas como Philips, IBM e Microsoft) adotaram o modelo de Inovação Aberta. A propriedade intelectual tem um papel significativo em empresas inovadoras. Inclusive, o número de patentes pertencentes a uma empresa é uma métrica utilizada medir a intensidade da inovação. 

É um equívoco pensar que a Inovação Aberta e os Direitos de Propriedade Intelectual são mutuamente exclusivos. Na realidade, eles se complementam. A propriedade intelectual é um pré-requisito para qualquer empresa que inova ou deseja inovar abertamente. No entanto, ao fazerem isso, as empresas precisam repensar a forma com que gerenciam a propriedade intelectual, por exemplo saber como administrar adequadamente suas relações com os parceiros externos, a fim de evitar a distribuição indesejada de informações confidenciais relacionadas à sua propriedade intelectual.

Devido a natureza da inovação aberta, o gerenciamento eficiente da propriedade intelectual é essencial para o sucesso de projetos em conjunto. Compartilhar conhecimentos, tecnologias e experiências entre diferentes atores é um benefício enorme que, no entanto, pode resultar em risco de perda de tais ativos e livre circulação, se não for gerenciado de maneira eficaz. Mas é preciso definir os termos da parceria de inovação desde o início, essa é a forma mais eficaz de evitar problemas futuros. 

The Business Change
Giovanna Zeny
Giovanna Zeny Seguir

Head of Business Transformation na HAG. Mestranda em Adm pela UFPR, com ênfase em Inovação Aberta e Corporate Venture Capital. Alumni da European Innovation Academy e Alumni da Fundação Alexander von Humboldt, Alemanha.

Ler conteúdo completo
Indicados para você