[ editar artigo]

O que é bootstrapping? E como isso pode tirar sua startup do papel

O que é bootstrapping? E como isso pode tirar sua startup do papel

Muitas vezes, uma startup recorre a investidores para ter sua empresa materializada, passando por diversos processos, pitches e reuniões que podem acabar desgastando o empreendedor. Mas, e se esse processo não fosse necessário? É aí que surge o bootstrapping.

Bootstrapping é uma expressão antiga, que significa literalmente “alça da bota”, ou seja, realizar um processo de bootstrapping dentro de uma startup é “calçar as próprias botas”, não depender de investimento externo e utilizar recursos próprios para criar o negócio. O primeiro dinheiro de fora que entrar vai ser dos primeiros clientes, e assim, a empresa cria um processo auto-sustentável, “investindo em si própria”.

Pros and cons

Bootstrapping pode ser sim uma solução. Mas assim como qualquer processo, tem pontos positivos e negativos, então vou citar alguns deles:

Negativos

· Crescimento a médio-longo prazo: como o investimento pessoal é muitas vezes menor do que o aplicado por um investidor, o processo de crescimento de uma startup por bootstrapping geralmente é mais demorado.

· Depende do mercado: o processo de ser investidor único não funciona para qualquer coisa, mercados muito dinâmicos geralmente não esperam a startup alavancar por si própria.

· Experiência: sem a ajuda de um investido/mentor, o empreendedor tem que estar muito mais preparado para começar seu negócio, ou seja, é preciso um grande esforço inicial independente.

Positivos

· Dinheiro apenas do caixa: utilizar o próprio faturamento para manter a startup é uma das melhores formas de manter a empresa, evitando dívidas de financiamento.

· Independência: o empreendedor e o time inicial controlam o negócio. As responsabilidades são grandes, mas a liberdade é maior ainda.

· Própria cultura e valores: tendo a startup em suas mãos, é possível construir e alinhar seus próprios valores e cultura, de acordo com o espírito e motivações do empreendedor.

O bootstrapping e a GoPro

Um exemplo de bootstrapping é a GoPro. Umas das maiores empresas de câmeras hoje começou com Nick Woodman, seu fundador, e $10,000 dólares captados por seu trabalho e alguns bicos.

No final de 2004 a empresa possuía uma receita de $150,000 e, dez anos depois, passou a valer $2.5 bilhões.

O processo foi longo, mas se Woodman tivesse desistido, a GoPro não seria a empresa que é hoje, e todo o processo, certamente, influenciou na imagem consolidada que a marca tem hoje.

Outras empresas também começam assim, com pouco ou nenhum investimento. Mark Zuckerberg em seu dormitório na faculdade, ou Steve Jobs com seus amigos em uma garagem.

É importante lembrar que essas duas empresas receberam posteriormente investimentos. Ou seja, realizar um bootstrapping inicial não significa que você não pode receber investimentos externos depois. Mas, seja por meio de capital próprio, crowdfunding ou um modelo de negócios alternativo, bootstrapping pode ser um alternativa para tirar seu negócio do papel. O ponta pé (literalmente) inicial.

 

 

The Business Change
Thais Porsch
Thais Porsch Seguir

Estudante de Jornalismo e fotógrafa

Ler conteúdo completo
Indicados para você