[ editar artigo]

O que são os "super aplicativos"?

O que são os

O conceito de super aplicativos ainda não é tão conhecido no Brasil, mas deve tomar os holofotes e os smartphones em breve. Inclusive, é muito provável que você use um. Um mesmo aplicativo para pedir, comida, farmácia, produtos para pets, dinheiro e até patinetes elétricos: Rappi é um super aplicativo. Reunir diversas funções em um único lugar dentro do seu celular. Outro exemplo é o WeChat, muito utilizado na China e que funciona como um WhatsApp, só que com possibilidade de também de comprar passagens de trem, pedir comida, reservar a estadia em um hotel, pagar contas, alugar uma bicicleta, ler notícias, jogar e até marcar uma consulta no médico. Cerca de 60% dos pagamentos na China não usam mais dinheiro, são feitos via Wechat e Alipay. Os super aplicativos são a prova de que, às vezes, atirar para todos os lados da certo. 

Essa nova geração foi apontada por Gartner como a era pós-aplicativo. Em uma sociedade que preza por praticidade e utilidade, baixar muitos aplicativos já não é mais interessante. Além disso, no Brasil, espaço nos celulares é algo que prezamos muito, devido aos altos preços de smartphones acima de 100GB.

E, já de olho na dominância, o próprio Facebook está dando indícios de adotar esse novo modelo, divulgando uma nova “Global Community”, que possivelmente vai integrar Facebook, Instagram e WhatsApp em um único lugar (app).

Empresas mais tradicionais e nacionais também estão atentas ao modelo. Frederico Trajano, presidente do Magazine Luiza tem falado com frequência sobre a intenção de reunir mais serviços no aplicativo da rede e, por “coincidência”, comprou a Netshoes semana passada.

Super aplicativos requerem uma super estrutura, UX e UI de ponta. Manter 10 serviços em um não é uma tarefa que qualquer fintech possa fazer. Mas, quando bem executados, os super apps facilmente se incorporam no cotidiano das pessoas. E mais que isso, criam dependência.

As empresas citadas já estão percebendo e aproveitando dessa retenção. Juntando todos as funções em um lugar, é cada vez mais difícil o usuário desinstalar o app depois de usar só uma vez (o que acontece frequentemente com aplicativos de delivery). Se você juntar delivery, pagamento, transporte e transferências em um mesmo lugar, a tendência das pessoas usarem o app todo o dia é alta.

O fenômeno dos super aplicativos ainda é recente, mas o mercado, cada vez mais competitivo, promete uma disputa entre gigantes techs. E para nós, presentes e futuros usuários dessa nova facilidade, que nossos dados fiquem a salvo.

The Business Change
Thais Porsch
Thais Porsch Seguir

Estudante de Jornalismo e fotógrafa

Ler conteúdo completo
Indicados para você