[ editar artigo]

Pessoas e a cultura de inovação

Pessoas e a cultura de inovação

Quando falamos a palavra inovação, qual a primeira coisa que vem a sua mente?

Tecnologia, produtos nunca imaginados antes, produtos já existentes mas com mudanças adaptativas enormes? É, inovação é um pouco de cada uma dessas coisas e conceitualmente é o ato de modificar antigos costumes e processos, uma renovação, criação de novidades.

 

Mas, por que falamos tanto em inovar?

Bom, porque inovação, hoje, é a demanda do mercado frente à velocidade com que a tecnologia vem evoluindo. E a habilidade das organizações em acompanhar essa evolução e inovar é o que pode garantir o seu sucesso a longo prazo. 

Porém, grande parte das organizações têm encontrado dificuldades nesse processo de transformação. Segundo uma pesquisa da McKinsey, 94% dos executivos não estão satisfeitos com a performance de inovação das suas organizações, e muitas vezes não conseguem entender a razão de suas inovações não estarem dando certo.

 

Então, o que faz uma organização ser inovadora?

As pessoas são os recursos mais importante de qualquer organização. Mesmo com tantas tecnologias e mudanças nos modelos de gestão, pessoas continuam sendo a base de organizações bem sucedidas e inovadoras!

Tendo isso em mente, o primeiro passo para a implementação de um bom processo de inovação é criar uma cultura organizacional que fomente essa mentalidade.

 

O estilo Google

'Inovação não pode ser forçada, precisa ser nutrida!' Essa é mentalidade da cultura Google, uma das empresas mais conhecidas por seu ambiente organizacional inovador e criativo.

 

Para o Google, fazer a inovação ser parte da cultura significa torná-la parte do seu dia-a-dia, da maneira como os colaboradores pensam e agem. Ela é criada a partir de um combo de ambiente e pessoas certas. E não estou falando de decoração divertida e escorregador no meio do escritório - apesar de ambientes assim incentivarem a criatividade -, e sim de uma estrutura confortável, focada no bem estar dos colaboradores, e das ferramentas certas para atrair e manter os melhores talentos.

A partir desse pensamento, o Google listou 5 fatores importantes para um ambiente inovativo:

  • Visão compartilhada -  todos sabem para onde a organização está indo.

  • Autonomia - os colaboradores definem seu próprio trabalho, o máximo possível. 

  • Motivação intrínseca - contratar pessoas curiosas que gostam de aprender.

  • Assumir riscos - permitir que os colaboradores se sintam psicologicamente seguros para assumir riscos e experimentar novas idéias.

  • Conexão e colaboração - facilitar aos funcionários a busca de parceiros e o trabalho conjunto.

 

Criando sua cultura de inovação

Tendo como base as experiências do Google, conseguimos ver que criar uma cultura de inovação não pode ser um projeto, e sim um produto interno que tem a necessidade de uma visão ampla, por isso, é extremamente  importante o papel dos líderes nessa criação.

O estilo de gestão de um líder influencia diretamente no time inteiro e na experiência dos colaboradores, e estima-se que 70% do impacto de uma cultura vem de uma liderança bem guiada e de modelos de comportamento, enquanto os 30% restantes vêm de treinamentos e outras formas de engajamento. 

Existem 5 comportamentos que,  segundo a IDEO, fazem parte de líderes que construíram culturas de inovação bem sucedida:

1. Não apenas pedem novas ideias, mas também estão aberto a elas. 

Esses líderes oferecem feedbacks, são transparentes e apoiam boas ideias com recursos para implementação. Eles conseguem mostrar o benefício das mudanças e ajudar a criar um ambiente onde correr risco é algo confortável.

2. Entendem quando e onde usar pensamento convergente e divergente. 

Para gerar novas ideias, um pensamento divergente, com muitas possibilidades, exploração e criatividade. Por outro lado, um pensamento convergente quando existir a necessidade de chegar rapidamente em uma solução.

3. Sabem recompensar os resultados certos. 

Esses líderes entendem o sistema de pessoas da organização - remuneração, promoções, gerenciamento de desempenho, motivações e até mesmo contratação, e como fazer os times trabalharem com eles, e não contra eles.

4. Sabem manter direcionamento e autonomia em equilíbrio.

Direcionamentos 'top-down' são importantes para estabelecer visão e prioridades, mas, muitas vezes, empoderam as pessoas. Oferecer autonomia em todos os níveis e fazer com que os colaboradores se sintam seguros para exercê-la é  muito importante para a criação de um ambiente ide inovação.

5. Mantém a autenticidade.

Muitas vezes, os valores das empresas descrevem o estado ideal, e não o atual. Os líderes bem sucedidos entendem que para manter valores e visão de forma autêntica é preciso apoiar e ter ação perante aos meios que vão fazer a organização chegar lá.

 

A difícil verdade

Pois é, o caminho para a mudança cultural não é fácil e as organizações precisam se preparar para resistência. A mudança - assim como suas implicações pessoais e profissionais - é assustadora, e é normal que os colaboradores se sintam ameaçados. No entanto, como vimos, esta resistência pode ser superada. Ao demonstrar o compromisso da organização com a mudança, e como a inovação é benéfica tanto para a empresa quanto para os próprios funcionários, a mentalidade mudará. Com o tempo, uma cultura inovadora torna-se auto-sustentável: não apenas os funcionários vão querer fazer parte da mudança, mas a empresa como um todo se tornará um ímã para novos talentos.

Seja no Google ou em qualquer outra organização, esse são os pontos vistos que serão muito importantes para qualquer mudança cultural inovadora:

  1. Forte liderança

  2. Transparência de valores

  3. Autonomia com disciplina 

  4. Colaboração

 

TAGS

ENTER

The Business Change
Ler conteúdo completo
Indicados para você