[ editar artigo]

EMPREENDER COM INCLUSÃO, OPORTUNIDADES PARA TODOS

EMPREENDER COM INCLUSÃO, OPORTUNIDADES PARA TODOS

A maturidade do século XXI abriu portas para o Empreendedorismo Social e Inclusivo, ambos promovem e contribuem com a qualidade de vida e com a melhoria de algum aspecto que impactará positivamente a vida de um grupo de pessoas.

Tim Harris, aos 28 anos, possui um restaurante americano localizado em Albuquerque/EUA e recebe todos os clientes na porta com um belo sorriso estampado no rosto.

Isabella Springmuh, a estilista da Guatemala que se destacou no London Fashion Week, foi selecionada como uma das 100 mulheres mais notáveis de 2016.

Gabriel Bernardes Lima, com apenas 21 anos, já possui uma empresa de brigadeiros gourmet na cidade de São Paulo/BRA.

Franco, Leandro, Mateo e Mauri são proprietários do Los Perejiles, empresa que presta serviço de preparação de pizzas e empanadas a domicilio em Buenos Aires/ARG.

Além de serem jovens e exemplos de inspirações, sabem o que eles têm em comum? São pessoas com Síndrome de Down. E sabem o que é mais fantástico? Todos passaram por dificuldades e preconceitos, e com essas dores tiveram muita determinação para desenvolver e mostrar seu potencial empreendedor. Hoje, são os protagonistas das suas vidas.

Para se tornar um empreendedor inclusivo como eles, é preciso coragem para arriscar, enfrentar barreiras e dificuldades, compreender e envolver todos os perfis de pessoas inseridos no processo. Embora na atualidade não é difícil notarmos que ainda há desconfiança das “pessoas comuns” em relação ao potencial e a capacidade de empreender das “pessoas diferentes”.

Avanços na legislação e nos campos da saúde, educação, esporte e tecnologia fizeram com que as empresas começassem a focar energia em negócios (produtos e serviços) atrativos para diferentes perfis de pessoas, voltados principalmente às soluções que resolvem ou atenuam as dificuldades de acesso, mobilidade e visualização. Eis o empreendedorismo inclusivo, um “mercado novo” e cheio de possibilidades.

Rafael Bonfim, consultor e especialista em inclusão, comenta sobre a importância da inclusão nas estratégias organizacionais, pois abre reflexões sobre comportamento, gestão, desempenho, relações interpessoais e resiliência, características fundamentais para o sucesso de qualquer organização, fazendo com que as deficiências se tornem cada vez mais irrelevantes quando colocadas em interação com o mundo.

Caroline Ananias Ferronato, Coordenadora de Projetos (ASID Brasil), relaciona empreendedorismo e inclusão de três maneiras, são elas:

  1. Pessoas com Deficiência (PcD) empreendedoras: pessoas com deficiência que fazem a gestão de seus próprios negócios, muitas vezes empreendem gerando emprego para outras pessoas que também possuem mobilidade reduzida.
  2. Empresas: organizações que promovem programas e campanhas internas em prol da acessibilidade e da inclusão, além de estimularem os colaboradores com deficiência para fazerem parte das decisões de ações estratégicas de Diversidade e Inclusão.
  3. Empreendedores na causa: formados por organizações sociais ou pequenos grupos, ou até mesmo uma pessoa, que aderem a um problema social e procuram solucioná-lo, muitas vezes, por meio de negócios sociais que geram renda e criam empoderamento de uma determinada comunidade.

Empreender com inclusão, um mundo mais acessível e com oportunidades para todos. Este é o impacto esperado!

Diego Hatschbach Ferreira

Especialista em Projetos Sociais e em Diversidade e Inclusão

Transformação de negócios

Ler conteúdo completo
Indicados para você